banner_joaopedro.jpg

Para conhecer melhor o Projeto Lapidando Talentos, leia o histórico abaixo ou clique aqui e veja a animação.

 

 

Histórico da origem do Projeto

A grande inspiração me ocorreu em 1998, em plena Copa do Mundo acontecendo na França. Foi nessa época que uma ideia surgiu para uma nova experiência: Garimpar Talentos. Decidi proporcionar ao meu neto Felipe Rossi Machado, estudante de escola particular,  a oportunidade de estudar com amigos, também talentosos, mas, alunos da escola pública. A finalidade era a de trocar experiências sociais, culturais, cognitivas e provar que é possível mudar a vida das pessoas, em todos os níveis sociais, através da Educação. 


No “garimpo” para a experiência, encontrei Jhimy Fernandes Villar e Talisson de Oliveira Castro. Posteriormente, foi convidado Felipe Pelizaro Gentil, para compor o TIME. Passado algum tempo, por insistência, uma insistência de quem sabia o que queria, juntou-se ao grupo Adriano Cintra Barbosa, também aluno de escola particular. Formou-se então o Grupo dos Cinco, cujo dever era se encontrar uma vez por semana, pelo período de duas horas, em minha casa. É importante lembrar que uma parceria muito importante foi estabelecida com o Colégio Jesus Maria José em Franca, que ofereceu bolsa de estudo para os garotos da escola pública, após lograrem os dois primeiros lugares no vestibulinho proposto pela escola no início do ano letivo de 1999.


No período em que ficavam em minha casa, muita disciplina era exigida. Mas atividades de lazer também eram permitidas. Os garotos tinham trinta minutos para nadar, a fim de trabalhar as energias inesgotáveis; quinze minutos eram destinados para um lanche caseiro (preferiam pão de queijo e bolo de chocolate, com suco ou refrigerante). Depois da diversão na piscina e do lanche, começávamos o estudo com quinze minutos trabalhando Cidadania, através do relato de experiências do cotidiano e da análise dos comportamentos das pessoas nas mais diferentes situações. Analisávamos textos para refletir o processo de ampliação dos procedimentos para o conhecimento.. Então, dedicávamos uma hora para a aula de Matemática.  Os meninos eram estimulados a apresentar pelo menos dois caminhos para uma mesma resposta da Equação apresentada no quadro branco.  Travavam uma verdadeira batalha com os números. Haja raciocínio!


Foi gratificante! O momento desses encontros era muito esperado. Não faltavam por nada desse mundo! Tornou-se para o grupo uma brincadeira séria e concluíram o Ensino Médio com galhardia!


Prestaram vestibulares e lograram conceituadas Universidades do País.
Jhimy Fernandes Villar – UNESP de São José do Rio Preto – Ciências da Computação.
Talisson de Oliveira Castro – USP Ribeirão Preto - Matemática Aplicada à Negócios.
Felipe Rossi Machado – FEI - Faculdade de Engenharia Industrial – Engenharia Elétrica
Adriano Cintra Barbosa – FEI – Faculdade de Engenharia Industrial - Engenharia Mecânica.
Felipe Pelizaro Gentil – USP São Carlos – Ciências da Computação